Sla Radical Dance Disco Club
1992
1  Disco Club 1 (Abertura) / A Noite
2  Sla Radical Dance Disco Club
3  Kamikazes Do Amor
4  Luxo Pesado (Got To Be Real)
5  Você Pra Mim
6  Space Sound To Dance
7  Speed Racer
8  Vênus Cat People
9  Disco Club 2 (Melô Do Radical)
10  Kung Fu Fighting
Disco Club 1 (Abertura) / A Noite
Fernanda Abreu / Laufer / Luiz Stein
Disco Club Samplers e Edição: Fernanda Abreu e Sergio Mekler

A tarde cai
A noite vem atropelando
Todos os chatos desanimados
Tá na hora de acordar e sair
E ver que a vida é se divertir
A noite é negra
E os holofotes vasculham
Toda essa escuridão
À procura de um lugar ideal
Pra dançar e barbarizar
Dance
A noite é quente
A noite é fria
Uma droga de arrepiar
E não importa mais se existe razão
Não tem pecado, nem perdão
You and me
Eu quero é me divertir
Moi et toi
A noite é feita pra dançar
You and me
Moi et toi…
Dance
Se é que existe diferença entre o bem e o mal
Dance
Se é que existe diferença entre o inferno e o céu
Dance
Se é que existe diferença entre as trevas e a luz
Dance
(D-I-S-C-O – We gonna disco all night)
Relache tes fesses
Relache tes hanches
S’ll existe une
Différence entre le bien et le mal
Don’t push me
Cause I’m close
To the edge
I’m trying not to
Lose my head It’s like a jungle
Sometimes it makes
Me wonder how l deep
From going under

Sla Radical Dance Disco Club
Fernanda Abreu / Leoni

Hoje é uma noite como outra qualquer
E na sua casa vemos uma menina
Uma menina muito interessante
E mesmo que não pareça, sua vida é dura

Hoje é uma noite qualquer
E lá está a menina, parada e pensando
Sentindo as palavras, indo e voltando
Sua mente trabalha, trabalha sem parar

Mas ela sabe que a noite é um grande negócio
Então decide sair e caminhar pelas ruas
Seu pensamento é interrompido por um som
Vindo de um lugar não muito distante

Sla radical dance disco club
Sla radical dance club

Foi só ela entrar e se deparar
Com um ambiente requintado e cru
Um som vital, um ritmo quente
Uma grande pista multirreluzente

Ela gosta de excitar seus sentidos
De ampliar seu poder de observação
Seus olhos tentam ver tudo, e assim
Sua boca, sua mão e assim seu coração

E já não é uma noite como outra qualquer
E no centro da pista está a menina
Dançando, sorrindo e dançando
Seu corpo trabalha, trabalha sem parar

Sla radical dance disco club
Sla radical dance club

Kamikazes Do Amor
Fernanda Abreu

Frases fulminantes
Cruzam o céu da sala
É fogo cruzado
Entre eu e você

No meio da fumaça
Meus olhos vermelhos
E tudo que eu desejo
É uma prova de amor

Somos kamikazes
Kamikazes do amor
Nos atiramos um pro outro
Sem salvação

Lá fora o sol queima
Os nossos pensamentos
Já quentes e ardentes
De tantas confissões

Mas nada me fará
Desistir de conseguir
Arrancar da sua boca
O beijo souvenir

Luxo Pesado (Got To Be Real)
Cheryl Lynn / D. Foster / D. Paich
Versão: Fausto Fawcett / Fernanda Abreu

– Tu vas pas m’inviter à danser?
– Mets un peu de sucre pour tourner sur le disque
– Laisse ma bouche te toucher…

Sou nigth club go-go
Taxi Dancer
Video-stripper go-go
To be real

Fui criada ouvindo
Hooked on classics, on gothicks, lisergics on rocks
Hooked on blues and funk and soul

Beneath the mambo sun
I’ve got to be the one

I’m a needless fairy of the hedonism
I’m a needless fairy of the decadence
Reality is just like flashing – kitsch trash
Do you like my hair?
Do you like my hips?
Do you like my breasts?
Do you like my eyes?
Let my lips touch you…

Sou garota rica
Condessa do torpor
Sou cobaia de decorador

Tu sais bien que j’aime tes cheveux?
Tu sais bien que j’aime tes cuisses?
Tu sais bien que j’aime tes seins?
Tu sais bien que j’aime tes yeux?

To be real
‘S got to be real

Beneath the mambo sun
I’ve got to be the one

Você Pra Mim
Fernanda Abreu

É incrível a nossa história
Sem nenhuma prova concreta
Só palavras, que voam com o vento
Imagens que eu guardo na memória

Um segredo inviolável
De uma paixão inflamável
Mas que nunca incendeia
Nem em noite de lua cheia

Às vezes passo dias inteiros
Imaginando e pensando em você
E eu fico com tantas saudades
Que até parece que eu posso morrer

Pode acreditar em mim
Você me olha, eu digo sim
Mas eu nem sei se sofro assim
O que eu quero é você pra mim

Space Sound To Dance
Fernanda Abreu / Luiz Stein / Laufer

Como o mar que avança contra as rochas
Ferindo-as, cinzelando o litoral
Dando-lhe os mais agradáveis recortes
O homem talha a pedra, recorta-a em formas maravilhosas

E se o sol, se debruça no horizonte
Sangrando as curvas das montanhas
Que reverberam, desesperadamente, dolorosamente,
Os fins de tarde, as últimas luzes,
O pintor copia o fenômeno, molda-o,
Transforma-o ou deforma-o de acordo com a
Sua arte, de acordo com a sua alma

Penso na história,
Nas grandes invenções,
A selção natural,
As civilizações

Se o vento assobia, o mar ruge, o trovão atroa,
Os pássaros chilream, a chuva martela,
O homem se inspira nessa sinfonia natural,
Reúne sons, escreve e compõe as mais lindas melodias

E se as árvores balançam, as nuvens se
Redesenham lentamente, os animais saltam,
O mar se move em ondas num balém sem fim,
O homem se inspira nessa harmoniosa coreografia e cria
As formas e os movimentos mais belos: a própria dança

Assim são as maravilhas do mundo
Feitas pela natureza e pelo homem

Space
Sound
Space sound to dance

Speed Racer
Fernanda Abreu / Herbert Vianna / Fabio Fonseca

Cada dia que passa
É mais um dia que passa
Pra onde o destino me leva
Eu não sei

Eu ando pela cidade
Speed Racer pela cidade
Mach 5 cor de prata
Em alta velocidade
Em alta velocidade

De dentro do meu carro, eu vejo
A chuva, o sol, o vento e as nuvens
Dando voltas na Lagoa, eu penso
A vida nem sempre é boa
A vida nem sempre é boa

Até por ruas mais estreitas
Ou por grandes avenidas
Cruzando viadutos e túneis
Passam-se dias e noites
Passam-se dias e noites

Rasgando o espaço
Eu sinto o sol
Batendo em minha cara
Eu tenho a força
Eu sou veloz
No Mach 5 em alta velocidade
Em alta velocidade

Vênus Cat People
Laufer / Fausto Fawcett

Cientistas Alemães
Genéticos zoólogos
Criaram
Uma vênus cat-people

Saíram atrás da pulsação perdida
No sangue da mais remota felina

No meu corpo corre a espuma do sangue
De antigas leopardas sedutoras

Felina adrenalina pré-histórica

Fernanda cat-people
Vênus cat-people

Sou aquela cujo corpo é sonho
Sou aquela cuja alma é sonho

Desejada fracção do eterno feminino

Disco Club 2 (Melô Do Radical)
Malboro / Fernanda Abreu / Herbert Vianna / Fabio Fonseca

Você que anda cabisbaixo sem ter o que fazer
De saco cheio do seu rádio e da voz da TV
Tudo que você escuta, te parece igual
A solução pros seus problemas acabou de chegar

É radical
Sla funky club
É radical
Sla dance disco club

O nosso clube é diferente, todo mundo é igual
Não tem feio nem bonito, antigo ou atual
Hebe, fonsa, renatinho, kiko, brum e siri
Bootsy collins, neneh cherry, barry white, james brown

É radical
Sla funky club
É radical
Sla dance disco club

Kung Fu Fighting
Carl Douglas

Everybody was Kung Fu fighting
those cats were fast as lightning
In fact it was a little bit frightening
but they fought with expert timing

There were funky China men
from funky China Town
They were chopping them up
They were chopping them down
It’s an ancient Chinese art
and everybody knew their part
from a feinting to a slip
And a kicking from the hip

Everybody…

There was funky Billy Chin
and little Sam mi Chung
He said: here comes the big boss
let’s get it on
He took the bow and made a stand
started swaying with the hand
A sudden motion made me skip
now we’re into a brand new trip

Everybody…

Sla Radical Dance Disco Club
1992
por Fausto Fawcett

James Brown, Rolling Stones, Trio Elétrico, Festa de São João, bailes gigantescos e clubes suburbanos ou sobrados do Catete, Nazareth, Bachman Turner Overdrive, Michael Jackson, Wanderléa, Jovem Guarda, Centro Espírita, pontos de macumba, Sunshine Band, Bailes da Pesada, Big Boy, Cidinho Cambalhota, Ademir Ritmos de Boate, Titãs, Hip Hop, reggae, ghetoblaster, rumba, merengue, frevo, xaxado, samba, Escolas de Pagode, Bailes de Formatura, Heavy Metal, disco music, Dancing Days, twist, swing, charme, fox-trot, hully gully, charleston, valsa, tango, gafieira, Studio 54, Morro da Urca, forró, mulatas do Sargentelli, rock, funk, soul, new wave, rituais em toda a África, dança da chuva, coreografias indígenas por todo o planeta, Tim Maia, Malcon MacLaren, Carmem Miranda, Madonna, Isadora, Nureyev, Gudonov, Gene Kelly, Fred Astaire, Carlos Affonso, lambada, Jackson Five, Sex Pistols, punk and headbanger dance, Sly and Family Stone, Chic, Chacretes, go-gos, dançarinas do ventre, Lady Zu, Xuxa, Dzi Croquetes, New York Dolls, Carlota Jazz Portela, Nijinsky, Hippopotamus, Papagaio, Jean Paul Gaultier, êxtases religiosos, aeróbica, dança moderna, balé, patinação no gelo, nado sincronizado, ginástica rítmica, blocos baianos, blocos cariocas, marchas militares, danças folclóricas, Pet Shop Boys, Rap-pers Delight, Kraftwerk, Malboro, Haideé, Grahan, break, streap-tease, Elvis, festas ciganas, quintais, play-grounds, quadras, ginásios, pistas, passarelas, palcos, coberturas e chás dançantes, Paralamas, Barry White. Apenas uma avalanche de nomes de pessoas, lugares e tipos de música que tem a ver com o movimento corporal, delícia de movimento, delícia corporal. Música pra dançar, de Strauss a Madonna, sempre foi considerada coisa menor, mero Euforizante Pop pras massas infanto-juvenis ou boêmios dançantes em feral. Música pra dançar sempre foi considerada um blefe musical de teor kitsch. Algo menor, se comparado a tanta música séria instrumental (refinamento e pesquisa) clássica ou mesmo popular (letras engajadas em psicologismo ou politicismos). Coisa menor, vejam só. Mas vou deixar esse papo pra mentes e corpos mesquinhos e medíocres, porque o que nos interessa é que existem no geral duas instâncias da condição humana. A primeira tem a ver com nosso impulso civilizatório, vontade de organizar a natureza, as relações sociais, visando a um maior conforto existencial (senso crítico, cosnciência ética, cidadania, arte-ciência, tecnologia, afirmação do ego), tudo contribuindo pra ilusão de que a vida é refém desse impulso organizador.

A segunda é o contrário total que namora a primeira. A diluição do ego, o impulso transformador da destruição, da Ânsia Obscena de Transcendência Impossível via orgias, fascinações, abandonos corporais, prazeres absurdos. S.L.A. Radical Dance Disco Club (e qualquer dance music) vai fundo na segunda instância (pois segundo reza a lenda freudiana do mal-estar da civilização, nós, criaturas de impulsos hostis, vertigens éticas, ternuras carentes e Inteligência Técnica Emocionante somos devidamente domados pela consciência social e civilizatória e por isso Estamos Sempre Produzindo ou Sendo Perturbados por desejos de aniquilação, dissolução, sacrifício e evasão do ego. Sentimos como o corpo é pouco e como essa Dúvida Chamada Espírito tá encurralada nessa dimensão (cinco sentidos, carne, tempo e espaço). Esses desejos se manifestam em assaltos de demência festiva, vontade de se acabar de prazer, vontade de carnaval, escatologia pornográfica, Consumo Canibal, Luxo Pesado, S.L.A. Your Mind Baby S.L.A. On Your Mind S.L.A. On Your Mind Baby S.L.A. Yourself Baby. Pra fechar essa parte, foi descoberta a mais antiga escultura feminina, a Vênus de Galgemberg. Foi encontrada na Áustria e data de trinta mil anos atrás. O barato dessa descoberta, é que essa estátua é radicalmente diferente da última estátua feminina mais antiga, a Vênus Calipígia, de doze mil anos. A Vênus Calipígia tinha ancas largas e maciças, além de fortes seios, o que levava aos arqueólogos a pensarem na mulher primitiva apenas como uma mulher de grande resistência física e capacidade utilitária, além de notável parideira. Já a Vênus de Galgemberg é esbelta e inequivocamente posada, a perna esquerda está ligeiramente arqueada e o dorso semi-girado par a direita, braço erguido de forma empinar o seio. Autêntica pin-up das príscas eras. A Ciência Dando de Cara com os Primórdios da Vaidade, da sedução e da vontade artística de registrar a mulher-em-pose. Por essas e outras é que a Vênus de Galgemberg está sendo chamado de A Vênus Dançante – S.L.A. Radical Dance Disco Club é um tributo a essa Vênus dançante, um tributo aos prazeres da carne, dos elementos da indústria, do luxo e do lixo chique ou kitsch, da mente excitada, dos ambientes de aglomeração festiva. Um Tributo à Inteligência que só o prazer dá.

Depois disso tudo, só me resta dizer o seguinte: além da novidade tecnotrônica na produção do disco (se existe uma coisa indigente em se tratando de música no Brasil é sua produção em estúdio) que pode servir de abertura pra outras idéias de produção sonora (coisa que lá fora é corriqueiro), o disco da Fernanda é um ótimo atalho para nova forma de vidas no panorama pop brasileiro pós-overdose de rock, brega e lambada. Principalmente em se tratando de cantoras, geralmente líberas e tímidas intérpretes. Espero que o sucesso desse disco faça sair da toca qualquer bárbaro, qualquer bárbara manipuladora eletrônica. Qualquer Nova Forma de Vida Pop que ainda não surgiu no nosso ecossistema de show business. Fernanda, como já disse, é mais que uma mulher bela e talentosa, é um Choque de Cleópatras iluminando todos nós. Agora esse choque vai chegar ao grande público em forma de disco solo. Ótima trilha sonora pra animar qualquer tipo de amor, aventura, lugar ou circunstância. É botar o disco na vitrola e sonhar com Boates Instaladas em Palácios cujos tetos altíssimos são Céus de Mentira, céus cujas estrelas são Najas Holográficas. Estrelas de cobra projetadas em furta-cor. Acabou a choradeira, Fernanda chegou com seu S.L.A. Radical Dance Disco Club. Podem desencapar o fio da alma e receber esse choque de Cleópatras. Tenho dito.

Sla Radical Dance Disco Club
1992

SLA Arranjos vocais Fernanda Abreu com colaboração de Felipe Abreu nas faixas “A Noite”, “Você Pra Mim” e “Luxo Pesado” Direção Artística Jorge Davidson Produzido por Herbert Vianna e Fabio Fonseca Co-produzido por Fernanda Abreu Produção Executiva Fabio Fonseca Assistente de produção Jerônimo Machado Programação de computador Fabio Fonseca e Chico Neves Gerente de estúdio EMI-Odeon Sergio Bittencourt Gravado nos estúdios EMI-Odeon em janeiro e fevereiro de 1990 Mixado no estúdio Nas Nuvens em março de 1990 Técnico de gravação Renato Luiz Técnico de mixagem Vitor Farias Assistentes de gravação e mixagem Jorge Brum e Marcio Paquetá (EMI-Odeon) Mauro Bianchi e Antoine Midani (Nas Nuvens) Corte Oswaldo e Paulo (BMG-SP) Operador de Sampler (Nas Nuvens) Mauro Bianchi Masterizado no estúdio Nas Nuvens por Vitor Farias e Sergio Bittencourt + Capa – Direção de arte Luiz Stein Fotos Flávio Colker (Fotos realizadas em Londres, fevereiro 1990) Desenhos Capa Interna (cor) Fernanda Abreu Capa Interna (pb) Fernanda Abreu, Luiz Stein, Fernanda Feldman, Valentina Joels, Clarice Laus Coordenação Gráfica Egeu Laus AGRADECIMENTOS ESPECIAIS Luiz – Herbert – Fábio – George Israel (Siri) – Serginho – Fausto – Laufer – Felipe (toques vocais) – Fernando – Aurélio – Bodão – Chico Neves (kiko) – Alexandre (chambinho) – Zé Fortes – Liminha – Memê – Malboro – Iraí – tuta Aquino – Joey Moskowitz (piano kamikaze) – Hermano Vianna – Jorge Davison – Pai – Mãe – Vó – Caio Márcio (coleção “disco”) – Jerônimo – Flávio Colker – Luzia – Clarisse – Isabel (london) – Lobato’s Brothers – Marçal – Demétrio – João Brandão – Leoni – Scowa – Dudu Marote – Mathilda – Marco Veloso – Marcia Serejo – Arícia M. – Suely M. – Beni – Paulo André – Michael Reade – Zé Luiz – Fernandinha – Vale – Clarice – Marcia Stein – Evaldo e Waltinho (S.P.) – Renatinho – Simon – Cecília Assef – Patrícia e todo pessoal da Odeon – Vitor Farias – Guilherme – Mauro – Antoine – Angelina (rango) e todo pessoal das “Nuvens” – Foxy – Sly Stone – Prince – M. Jacko – K.C. – J. Brown – Neneh – De La Soul II Soul – Caila – Chulito – G. Clinton – B. White – Chic – Caetano – Gil – Sylvester – Grandmaster Flash – Blitz – Bootsy – Paralamas.

“…Se visses como ela dança! Todo o seu coração, toda a sua alma estão ali; todo o seu corpo é de uma harmonia e de um tal abandono que a dança parece ser tudo para ele, não ter outro pensamento, não sentir mais coisa alguma e, certamente, tudo o mais desaparecer.” Werther Goethe

Sla Radical Dance Disco Club
1992
Sla Radical Dance Disco Club
1992